Google Website Translator Gadget

sexta-feira, 25 de maio de 2012

A melhor varanda de Lisboa

Um amigo conseguiu a proeza de marcar uma visita ao Arco da Rua Augusta. Fez o favor de me estender o convite e eu não me fiz rogado.

Confirmei que ia, apontei na agenda e, por causa da antecedência e de umas semanas demasiado aceleradas no emprego, esqueci-me da marcação. Até que o aviso me saltou do PC, apanhando-me desprevenido a meio de um dia de trabalho, sem a minha fiel Nikon. 

A oportunidade era única e não a quis desperdiçar pelo que me decidi a ir, mesmo que condicionado a fotografar com o telemóvel. É que o Arco não está aberto ao público e as visitas só se fazem com marcação prévia (havia pessoas no grupo que o tentavam há cerca de um ano). Para além disso, as visitas irão cessar por tempo indeterminado a partir do fim de Maio, por uma razão incompreensível: a tutela do monumento vai passar da Direcção Regional do não-sei-quê para uma Direcção Geral do mesmo-não-sei-quê e não há mais visitas até que o novo organismo decida o que fazer. Enfim, um argumento tão imperscrutável como o que impediu que até agora o Arco estivesse aberto ao interesse do turista que passa pela Baixa.

O acesso ao interior do arco está discretamente escondido sob a forma de uma pequena porta verde sob as arcadas do lado esquerdo, para quem está de frente para o Terreiro do Paço.

A porta dá acesso a uma apertada escada em caracol que nos leva, depois de vencidas umas boas dezenas de degraus, a uma câmara vazia ao nível dos telhados dos ministérios e que é soberbamente iluminada através de uma claraboia. Cenário digno de um livro de Dan Brown já que, àquela distância da rua, o bulício da Baixa cala-se e o único som que se ouve é o do mecanismo do relógio, iluminado pelos raios de sol vindos do tecto. Como se fosse uma pista para o Santo Graal ou um qualquer outro segredo perdido nos tempos. Uma pista só decifrável ao meio-dia daquela terça-feira.  


Mas o melhor está lá em cima. Depois de mais algumas dezenas de degraus em caracol, mais de cem ao todo, chega-se ao amplo terraço de onde se tem uma vista única sobre a Baixa, o Castelo, o Terreiro do Paço, o Tejo e ainda mais além (o que também mostraria, tivesse uma máquina apropriada). O melhor de Lisboa, visto duma varanda como nenhuma outra.

Só ali me apercebi do tamanho descomunal do Arco, da altura a que está da rua e da dimensão brutal das estátuas (que representam a Glória corando o Génio e o Valor), impossível de perceber ao nível do solo.
Uma última palavra para o Paulo, o amigo a quem tenho de agradecer esta visita única. Ele também é fotógrafo. Dos bons. E dos que não se esquecem da máquina. Fica aqui o link para o seu blogue, onde me prometeu que iria publicar algumas das fotografias que tirou e que espelham, melhor do que as imagens que eu aqui deixo, o admirável Arco da Rua Augusta. 



47 comentários:

  1. É realmente impressionante como é que este património fabuloso se encontra encerrado desde sempre. Um desperdício verdadeiramente incompreensível . Infelizmente como tantos outros e Lisboa. Parabéns pelas excelentes fotografias e pelo sempre bonito e muito interessante trabalho .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela visita. Parabéns (já dados no sítio devido) pelo aniversário.

      Eliminar
  2. Só agora soube que o Arco da Rua Augusta é visitável? Nunca tal tinha ouvido dizer. Ou será que ando distraída?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era visitável por grupos mediante reserva. Mas como ninguém sabia disso não era visitável, na prática. Agora (a partir do fim do mês) nem assim será possível. Até que a nova tutela decida em que moldes vai permitir o aceeso ao Arco.

      Eliminar
  3. Como é possivel, que um património destes este oculto dos visitantes desta belíssima cidade de Lisboa. Parabéns ao autor pelo excelente trabalho de divulgação.
    Bem Haja

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelo simpático comentário Rovato.

    Abraço,

    ResponderEliminar
  5. Já me tinha passado muitas vezes pela cabeça como seria a vista de Lisboa do alto do arco. Agora já não tenho de imaginar. Obrigado por este post e pelas belas fotos! Também não fazia ideia que era possível visitar o arco, espero que as visitas regressem em breve.
    Parabéns pelo blog. Só o conheci hoje mas já está na minha lista de leituras :)
    Rita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda Rita e obrigado! Parabéns pelo "Postcards..." fiquei com vontade de ir a Monserrate

      Eliminar
  6. Porque a câmara Municipal de Lisboa, não aprecia estes comentários e da mais vida ao magnifico monumento com visitas ao publico.?

    ResponderEliminar
  7. Olá Roberto,
    Acho que neste caso a CML não carrega nenhuma responsabilidade (directa pelo menos). Que o monumento merece mais vida, disso não há qualquer dúvida. Obrigado pela visita!

    ResponderEliminar
  8. Desconhecia que o arco era visitável mas me apercebi que há muitos tesouros escondidos e mal aproveitados para o turismo. Quando penso que tive de esperar 1 ano para fazer a visita ao aqueduto...que tristeza.

    Obrigada pelas fotos. São fantasticas.

    Ana Lidia Carmo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana,

      Soube do encerramento do aqueduto mas não me recordo de ouvir noticiada a sua reabertura. São boas notícias.

      Ainda bem que gostou das fotos. Obrigado pela visita!

      Eliminar
  9. Tudo que dá trabalho sem o retorno imediato duma quantidade importante de dinheiro, não é para se fazer.
    Fiquei curioso sobre a forma como a pessoa em questão, que não tenho o prazer de conhecer, conseguiu a proeza.
    Claro que cobrar € 5,00 ou mais para visitar o Castelo de São Jorge é muito mais fácil e lucrativo!!!!
    A cripta sob a rua da Conceição que abre ao público quando calha; as igrejas que guardam testemunhos muito directos de nossa história e normalmente estão fechadas; as ruínas do teatro romano na rua da Saudade e que me não lembro de ver abertas para visita; são bom exemplo da forma como os "donos" da cidade tratam os munícipes.
    Bem haja quem consegue quebrar a corrente do "não pode"
    José Pestana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. José,

      Não conheço os sítios de que fala. Vou estar atento porque fiquei curioso. Quanto às igrejas, já tenho batido com o proverbial nariz na porta de algumas, com muita pena minha.

      Obrigado pela visita e pelo seu comentário.

      Um abraço,

      Eliminar
  10. tenho conhecimento que no arco funciunava um bar para jovens que tinham aquilo arrendado e que agora tiveram que entregar .

    ResponderEliminar
  11. É uma pena que muitos dos nossos monumentos como este "O ARCO DA RUA AUGUSTA" não sejam devidamente divulgados! E que possam ser visitados...!
    Obrigada pela visita virtual! Vou estar atenta!

    ResponderEliminar
  12. Fiquei maravilhada com a beleza deste monumento e surpreendida pelo facto de não ser alvo de mais divulgação. É pena as Entidades que gerem estes patrimónios não o façam.

    ResponderEliminar
  13. Não fazia a mais pequena ideia que o arco fosse visitável. Fiquei cheia de pena de não ter sabido isto há mais tempo. As fotografias (óptimas) aguçaram-me o desejo de também lá ir acima. Que pena irem fechar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luisa,

      Confiemos que reabra em breve. Tinha acontecido algo parecido com o aqueduto e entretanto reabriu (e a Susana já lá foi e partilhou aqui o que viu).

      Obrigado por nos visitar e comentar.

      Eliminar
  14. Pois é. Eu já sou velho e há muitos anos tive conhecimento dessa porta
    verde que nunca consegui abrir. Trabalhei muitos anos na Companhia de Seguros Fidelidade, no Corpo Santo e de vez em quando, ao passar, lá mirava a porta, sempre fechada.Em contrapartida visitei há 60 anos o soumet do Arco do Triunfo, sem qualquer dificuldade. Francesisses!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser que a porta se franqueie mais cedo do que esperamos. Obrigado por nos visitar e comentar.

      Um abraço,

      Eliminar
  15. este como tantos outros monumentos deste País estão desprezados,se precisamos de dinheiro recorremos ao mais fácil k sãO impostos, na baixa de Lisboa saca-se com a arrumaçao para os carros,agora nesta altura do campeonato, sadam-se os funcionários publicos, pois são eles os causadores da desgraçada divida.Enfim, é infelizmente o país k temos governado por incompetentes e de visão muito curta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos de ir fazendo o que nos cabe para tenaar mudar as coisas, mesmo as mais pequenas. Obrigado por nos visitar e deixar o seu comentário.

      Eliminar
  16. Gostei. Não sabia da existência. Obrigada pela beleza pala partilha.
    Lourdes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lourdes,

      Obrigado pelas suas palavras.

      Eliminar
    2. De facto lindíssimo, pena que tão pouco divulgado e quase desconhecido.Lisboa tem este encanto de encantar quem não conhece e encontrar novos encantos! Bem hajam por me fazer conhecer esta maravilha tão perto de mim.
      São Machado

      Eliminar
    3. São, obrigado pelas suas palavras e por nos visitar.

      Eliminar
  17. Tenho 65 anos e sou bem LISBOETA,só lamento que o nosso povo deixe que estes politicos de meia tijela ou mentecpetos arruinem a nossa tão LINDA LISBOA. Que era tão PORTUGUESA e tradicional para nossa vergonha vamos deixar que feichem a MATERNIDADE AONDE EU E A MAIORIA DOS LISBOETAS nasceram e pariram como é o meu caso nasci e pari nesta nossa querida LISBOA´.PARABENS E OBRIGADO POR ESTAS FOTOGRAFIAS, que seram daqui a uns tempos o que nos resta para vêr,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós é que agradecemos a sua visita e o seu comentário.

      Eliminar
  18. Os responsáveis pelo lindo arco em questão estão, talvez, a pensar que aquilo é uma coisa "micharuca" e que não vale apena nem olhar? Talvez estejam absortos em alguma coisa onde se gastem milhões e alguns saiam pela "porta do cavalo" directamente para uma conta particular? Bom, não sei e perguntar não ofende!!! Lá que há gente a mais dessa por aí, há...
    Obrigado por me dar a conhecer que este belo monumento é potencialmente visitável e também pelas belas fotos.
    A. Santos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela sua visita. Ainda bem que gostou!

      Eliminar
  19. Muito obrigado pelas belíssimas fotografias, já passo debaixo do arco há 64 anos desde bebé ao colo de minha mãe nasci, no H. S. José, maternidade S. Barbara, sou um apaixonado pela minha querida Lisboa. Tenho pena que não esteja aberto ao público este maravilhoso monumento. Também existe junto há antiga esquadra da mouraria, na porta ao lado um pátio, mesmo em frente uma porta de um prédio interior, na escadaria há uma colecção de azulejos digno de ser visitado. Já há muitos anos que não vou lá, quem lá for não dá o tempo por perdido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo seu comentário. Sabe dizer-me o nome da rua onde essa antiga esquadra?

      Eliminar
  20. Viva, João Neves

    Esta foi a forma que encontrei para lhe responder ao comentário que fez no meu blogue. Recebi este PP no meu mail. Não tinha qualquer tipo de identificação quer do autor das fotos quer do PP. Não sabia também que se tratava do conteúdo e imagens de um post seu, por isso o publiquei sem qualquer referência. As minhas desculpas. Publiquei, também este PP, porque achei as fotos belíssimas. Percebi agora porquê.
    Vou tentar fazer as correcções que me pede com os dados que me forneceu. Obrigada pela atenção.
    Mª da Conceição Coelho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,

      Muito obrigado pela prontidão e correcção com que tratou a questão.

      Ainda bem que gostou das fotos. Espero que tenha gostado também do resto do nosso blogue.

      Cumprimentos,

      Eliminar
  21. Fiquei maravilhada com a vista e agradeço por me propiciarem tão belas imagens. Só me resta esperar que quem de direito me dê a hipótese de comprovar a olho nú. Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado por nos visitar e deixar o seu simpático comentário.

      Eliminar
  22. é um belo lugar , parece um sonho , obrigada .

    ResponderEliminar
  23. Lindo!!! Muito obrigado pela partilha,bom trabalho,imagens que nunca imaginei poder ver... Já adicionei o endereço nos meus Favoritos e decerteza vou passar aqui.
    Esta é de facto uma das mais belas varandas de Lisboa.
    Obrigado

    ResponderEliminar
  24. Realmente é um desperdicio cultural. Será que é um defeito nacional deixar os monumentos e outras belezas ao abandono, não tirando partido da riqueza que o nosso País tem.

    ResponderEliminar
  25. Absolutamente Divinal!
    Uma pena estar fechado ao publico.

    Temos uma JÓIA à qual ninguém dá valor, está suja, preta, o relógio sem funcionar e mesmo assim todos os dias vemos turistas a fazer fotos a este monumento que para muitos passa apenas por uma Arco.

    Chega a ser melhor que subir a Sagrada Família, só pelas vistas e a imensidão das estátuas no seu cimo!

    Obrigada por este post! Lindíssimo!
    Sandra Campos

    ResponderEliminar
  26. O arco vai ser recuperado muito em breve e será aberto a todos os visitantes. Boas notícias?

    ResponderEliminar
  27. Obrigado João Neves pela tua partilha. Sou da Mouraria e nunca "tinha posto os olhos" nesta vista.
    Parabéns!

    JE

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...